Sobre vida, abril, 2020

Impressão digital em lona plástica

1,60 m x 2,30 m x 2 cm

 

Com SOBRE VIDA, abril, 2020, Regina Rocha Pitta ativa os procedimentos espaciais e conceituais que regem a arte contemporânea.

O “pretexto” da reclusão pelo isolamento, o enfrentamento do não convívio e da mudança de espaço motivam uma sequência de indagações que ativam a capacidade da artista de articular suas redes sensoriais de recepção, planejamento, concepção e execução de processos artísticos que culminam na disponibilização da obra de arte.

Do registro fotográfico de uma flor denominada cientificamente como Epiphyllum oxypetalum, mas conhecida popularmente como Dama da Noite -morta com seu cálice -até sua apresentação impressa sobre lona plástica, em grande formato, em um contexto de vasos de plantas vivas há uma articulação sensorial de assimilação, degustação e projeção de sensações. A imagem da flor morta converte-se ao mesmo tempo na flor que as plantas vivas poderiam gerar ou não.

A preocupação da artista é estremecer o entorno pela representação artística, estimulando leituras plurais que ultrapassam a mera abordagem temporal de uma realidade coletiva, mas que se reforça por meio da obra de arte. São essas relações no entorno entre a instalação proposta, a circulação do espectador (agora virtual), o espaço arquitetônico, entre o visível e o imaginado que dão força ao projeto em seu conjunto.

Os contrastes cromáticos, as vertentes de referências sugeridas, enfim, um vendaval de leituras para reforçar, pela arte, os processos cíclicos da vida e deles construir manifestos visuais e estéticos como o que Rocha Pitta apresenta aqui como Livro de Artista nessa relação dialética entre ternura e injúria.

 

Andrés I. M. Hernández

Curador – Campinas, julho de 2020

REGINA ROCHA PITTA

Artista Visual